Imunocan V8®

Vacina indicada para uma imunização efetiva dos cães contra a Cinomose, Hepatite Infecciosa, Laringotraqueíte Infecciosa, Parvovirose, Parainfluenza e Leptospirose.

(Leptospira icterohaemorrhagiae, Leptospira canicola e Leptospira grippotyphosa)


Quando menos é mais

Imunocan V8® segue as tendências mais modernas de imunização em cães utilizando somente antígenos que têm relevância epidemiológica em nosso ambiente.

Uma vacina livre de antígenos não recomendados

De acordo com as novas diretrizes mundiais de vacinação para cães e gatos publicadas em janeiro de 2016 no Journal of Small Animal Practice, Vol. 57, pela WSAVA - World Small Animal Veterinary Association (Associação Mundial de Veterinários de Pequenos Animais), as vacinas foram classificadas em 3 grupos:

1- VACINAS ESSENCIAIS são aquelas recomendadas a todos os filhotes com história desconhecida de vacinação. Devem imunizar, satisfatoriamente, os cães contra as doenças que possuem uma significante morbidade e mortalidade e são distribuídas amplamente. As vacinas consideradas essenciais para cães são contra Raiva, Cinomose, Parvovirose, Hepatite Infecciosa e Laringotraqueíte Infecciosa.

2-VACINAS OPCIONAIS Estão indicadas para os animais expostos à ambientes com alto risco de contaminação ao agente especifico e onde há comprovada distribuição geográfica da doença, o que varia muito em cada país. Entre elas estão: Lepstospirose, Bordetella e Parainfluenza.

No Brasil, a maioria das vacinas polivalentes, incluindo a IMUNOCAN V8®, contém antígenos para a Leptospirose, primeiramente porque trata-se de uma importante zoonose e por que sua ocorrência nos animais domésticos é muito alta devido a precárias condições de saneamento básico nos centros urbanos e a existência de um grande número de propriedades rurais muito próximas aos reservatórios silvestres da doença. Vale ressaltar, que devido ao fato de que uma grande porcentagem de cães vacinados contra leptospirose não desenvolvem uma boa imunidade ou que a desenvolvem apenas por um curto período de tempo, é necessária a revacinação periódica.

3- VACINAS NÃO RECOMENDADAS são aquelas vacinas contra doenças que não possuem significado clínico importante ou que respondem prontamente ao tratamento, como a Coronavirose. Vários estudos já demonstraram que os cães com idade superior a 8 semanas de idade, não estão mais susceptíveis a infecção pelo Coronavírus canino. E, de acordo com estes estudos, os cães que receberam a vacina contra o Parvovírus canino, que é indutor de uma doença muito mais severa e mortal, não desenvolverão sintomas clínicos da Coronavirose. Além disso, a vacina contra Coronavírus também não é recomendada, pois não há evidências comprovadas que protejam efetivamente contra as variantes patogênicas desse vírus. Vale ressaltar também que as escolas Médicas Veterinárias nos Estados Unidos não recomendam a vacinação contra Coronavírus.

Fazem parte também deste grupo vacinas, aquelas sobre as quais as evidências de eficácia após seu uso são mínimas pois tem uma baixa indução de imunidade e aquelas cujos de efeitos colaterais, pós administração da vacina, são maiores que os benefícios. Entre elas destacamos a vacina contra o Adenovírus tipo1(CAV-1), que podem produzir efeitos indesejáveis como insuficiência renal, uveíte e opacidade da córnea (“Blue Eye reaction”)

Uma melhor proteção contra Leptospirose:

IMUNOCAN V8®, é única vacina do tipo V8 para cães, disponível no Brasil, que tem na sua fórmula o sorotipo L.grippotyphosa, cuja prevalência aumentou significativamente nos últimos anos, devido à proximidade dos centros urbanos das matas, expondo os cães domésticos ao contato com animais silvestres, que são reservatórios dessa leptospira. A leptospirose por L. grippotyphosa tem sido apontada como causa importante de insuficiência hepática e renal aguda em cães.

As outras vacinas polivalentes tipo V8 disponíveis no Brasil, protegem somente contra os sorotipos L. canicola e L. icterohaemorrhagiae, portanto os cães que são imunizados com esse tipo de vacina V8, continuam susceptíveis a infecção pelo sorotipo L.grippotyphosa, podendo desenvolver os sintomas clínicos de leptospirose com insuficiência renal aguda ou hepática, dessa forma, em cães que apresentem sintomas de Hepatite, e que não tenham sido vacinados com contra a L.grippotyphosa, haverá necessidade de se fazer um diagnóstico diferencial, com outras causas de hepatite crônica ativa.

Mecanismo de ação das vacinas

Após a aplicação, os antígenos contidos nas vacinas são reconhecidos como partículas estranhas pelo sistema imunológico dos cães ativando-o, o que induzirá a formação de anticorpos específicos contra os antígenos contidos na vacina. Estes anticorpos específicos é que impedirão o desenvolvimento das doenças em caso de infecção. Em um cão livre de anticorpos passivos (maternais) a sua imunidade humoral começa a se desenvolver 14 dias após a data da primeira vacinação e estará completamente desenvolvida 2 semanas após uma dose de reforço. Todavia, como é conhecido e comprovado, os filhotes de cães com anticorpos maternais circulantes podem levar até a 16º semana de vida e em alguns casos até a 24º semana para desenvolver completamente a sua imunidade, dessa forma, na dependência da idade que esse filhote receber a 1ª dose da vacina, será necessário aplicar mais de uma dose reforço, obedecendo intervalos máximos de 21 dias. A revacinação deve ser repetida anualmente a fim de manter a imunidade permanente dos animais vacinados.


APRESENTAÇÃO E MODO DE USO

Composição:
- Na Fração Liofilizada estão os antígenos de vírus vivos atenuados que induzem imunidade para a Cinomose, Hepatite Infecciosa, Laringotraqueíte Infecciosa, Parvovirose e Parainfluenza Canina.
- Na Fração Líquida estão os 3 sorotipos de Lepstospiras inativadas que induzem imunidade para a Leptospirose Canina induzida por L. canicola, L. icterohaemorrhagiae e L. grippotyphosa.

Indicação: Para a imunização ativa de cães saudáveis, a partir de 8 semanas de idade ou mais, auxiliando a prevenção contra a Cinomose, Hepatite Infecciosa, Laringotraqueíte Infecciosa, Parvovirose, Parainfluenza e Leptospirose.

Dose: 1 ml por via subcutânea (liofilizado mais diluente) independentemente da idade, peso e raça do cão, aplicada preferencialmente, na região da cernelha (entre as escápulas).

Programa vacinal: Aplicar pelo menos uma dose de reforço da vacina 14 a 21 dias após a 1ª dose. Na dependência da idade que o filhote recebeu a 1ª dose, poderá receber até 3 doses de reforço até completar 16 semanas de vida ou mais, sempre a critério do Médico Veterinário. A Revacinação anual é recomendada.

Apresentação: Embalagens com 10 frascos-ampola com a fração liofilizada e 10 frasco-ampola com 1 ml da fração liquida, com etiquetas destacáveis para uso em certificados.

A vacina IMUNOCAN V8 pode ser usada separada ou simultaneamente com outras vacinas de acordo com o esquema de vacinação recomendado pelo Médico Veterinário.

IMUNOCAN V8®
Produto Importado
Licenciado no Ministério da Agricultura sob o nº 10.191/2016
Representante Exclusivo do Brasil, Importador e Distribuidor:
Laboratórios Grascon do Brasil Ltda.

BIOVETA, empresa europeia atuando na fabricação, pesquisa e desenvolvimento de produtos para as áreas Veterinária e Humana sob os mais rígidos controles de qualidade.

CONSULTE SEMPRE O MÉDICO VETERINÁRO


ACESSE A BULA AQUI